quarta-feira, 29 de abril de 2009

repetindo a magia ...


Há coisas que podemos repetir que não cansam. NY é uma delas! Falar de NY é outra. Este sitio no mundo é mágico. E, como diriam os soldados do bravo general La Palisse, é mágico porque tem magia. Tem a magia dos cheiros e das cores, das gentes, das locais e das do mundo inteiro, como se o mundo ali convergisse, se tocasse, se trocasse, se entendesse. NY é mágica, é o máximo, é um tesão, é tudo e nada ao mesmo tempo, é o tempo voado e pousado nas nossas mãos, nos nossos olhos, no nosso olfacto e no coração que nos faz bater. NY começa de manhã bem cedo e acaba de manhã bem cedo para começar de novo. Não acaba portanto. Não cabe num dia e dá-nos um dia que parece um retrato que guardamos, de um bocado de nós. Começa em qualquer lugar, rua, avenida ou cruzamento, pode pegar-se em NY como se pega num bocado de ar, com uma mão, com as duas ou simplesmente com o olhar, com o olfacto, com a ponta dos dedos.
Hoje, dia que calhou ser 29 de Abril, entrei no encanto desta cidade pela mesma porta que tantas vezes utilizo, chegando ao Ground Zero vindo no Path, correndo ao Essex World Café para o meu pequeno almoço de sempre, uma mão cheia de coisas gordas e boas, pedidas naquele fascinante mundo gritado num inglês de sotaque latino e que me faz sentir no mercado da Bolsa de acções dos componentes alimentares do inicio da manhã. Acompanho com o do costume, um Mocha Java e remato com um café que sai comigo e me acompanha noutro costume, ar livre e cigarro, como sempre .. e hoje uma vez mais. Depois, bem depois foi dia de subir toda a Broadway até Union Square, em busca de um livro encomendado por sms vindo do meu filho, passando e parando aqui e ali, em todos os Starbucks e seus Frapuccinos, em todas as esquinas com sombra que convidavam a descanso e um cigarro mais, no meio da turba de novaiorquinos que se começaram a despir com o calor. E acreditem, calor aqui é calor, e despem-se eles e elas, mais elas que eles, e elas de todo o mundo, e assim NY se vê invadida por peitos que espreitam, mamas do mundo que envergonhadamente se espraiam em pedaços de sol conquistado, não ao léu e à bruta mas a sair e espreitar por entre decotes e camisas de botões sem uso, e saiem elas, as mamas, e saiem eles, os olhares, e deitam-se nos parques todos, as mamas, os olhares, e as pessoas, todas as pessoas do mundo, porque aqui vive o mundo, vivem todos as cores do mundo e todos os seus sons e barulhos, NY é mágica repito, aqui congrega, mesmo sabendo que em tempo de calor congregar pode parecer estranho, mas congrega sim, junta num formigueiro sem fim todas as liberdades sonhadas, sonhos guardados, vidas corridas de todo o lado para todo o lado. Chegado a Union Square, derreado e derretido, amaldiçoados os All-Star que trago e que para estes passeios soltos na vida são um desastre, comprado um romance do imprevisível Koontz e seus enredos, sento-me no parque e em meio a gente que é gente de todo o lado, por entre almoços alheios sacados a talheres de plástico, com um bebida energética ganha em promoção e distribuição gratuita, sento-me e leio, apanho calor e vivo um pouco a pacatez do momento, embrenho-me, torno-me novaiorquino, e vejo mamas e olhares, folheio o livro, tiro a t-shirt e venha de lá sol também, tenho saudades de alguém e adoro este dia mais. Fiz tudo e nada, fui eu um dia inteiro por ali, sem trocar palavras e escutando milhões delas, trocadas por gente do mundo, do tal mundo todo, que se cruza e descruza na magia de ... NY !
Chega o fim do dia e algum cansaço, chega a vontade de começar um novo. NY, que não acaba nunca, nem dorme segundo canta a canção, vai estar por ali amanhã de manhã cedo !

8 comentários:

Teresa Queiroz disse...

está lá sempre.... se fores ver agora está lá!!

Vitor disse...

...como se o mundo ali convergisse, se tocasse, se trocasse, se entendesse...é isso ;-)

Anônimo disse...

Vê lá se não te esqueçes de mim...

Abraço e diz "fruta",
Bi

Anônimo disse...

Foi bom estar lá através das tuas palavras, das sensações que elas transmitem,e do imaginário que elas ajudaram a construir. Quero lá voltar!

Ana GG disse...

Uiiiiiii....
Ficamos com uma vontade de lá ir.
Os teus "relatos" continuam soberbos!

VDT disse...

I know what u mean!!! 24H00 não chegam para este pedaço de terra!
Mas há sempre a possibilidade de voltar e sentir o que tão bem relatas! Well done

VDT disse...

http://br.olhares.com/manhattan_foto2738200.html

É lá em baixo que tudo se passa...
Grande abraço e fico à espera de umas fotos de Ténis...

Anônimo disse...

tirando o fascínio das mamas, subscrevo! beijinhos, Salema Jr :)