terça-feira, 1 de dezembro de 2009

pássaros de sonho sem lugar

O fim da tarde. Chegara o fim da tarde! Não pelo frio nem pelas cores, não pela ausência de horas quentes e por vezes vazias, como vazias seriam as da noite que ali vinha, com força e aviso, o de sempre, chegara e vira partir, sempre e como sempre, alheia a noite, não por nada disto mas por tudo isto talvez, porque não aprendera nunca Pepetito os segredos das poesias esquecidas? .. e sabia ele chegada a hora, de ter saudade de coisa assim, de passagem sem rumor, de dia e infinito fulgor, em asas quase quebradas, mas de voar sem fim, não como os dias que esbarravam nas noites, não como os sonhos que se perdiam, em momentos sem sabor, mas com fulgor, de espanto achava Pepetito, de encanto lhe parecia e fraquito, para onde o levaria o vento, em bater de asas de gente forte, de quem sabe sua sorte, passarinho de frágil alma, de certeza calma, de quem seu ramo sabia deus ... sem teu adeus, caminho vazio de dias sem fim.... viesse a noite e dissesse, olhasse o vento e o levasse, a ele, logo a ele, de Pepetito a surpresa, de quem sabia a certeza, de não haver pássaros assim ! Chegara o fim da tarde. E voaram os pássaros de sonho sem lugar!

4 comentários:

Anônimo disse...

:'(

Vitor disse...

"...viesse a noite e dissesse, olhasse o vento e o levasse, a ele, logo a ele, de Pepetito a surpresa, de quem sabia a certeza, de não haver pássaros assim ! Chegara o fim da tarde. E voaram os pássaros de sonho sem lugar!..."

...e de ler e reler,gostar até cansar,até que a mão te doa de bem escrever,qual transmissão do teu pensar...vai por diante amigo!

Anônimo disse...

A noite chega, assim vazia, sem fulgor algum...noite fria e triste...sem a alegria do canto de pássaros, que um dia, encantaram os passarinhos de um lugar com nome em comum...Os pássaros de hoje mais velhos, talvez, olharam e não viram para além da imagem dos passarinhos...nem pensaram que os passarinhos poderiam ter algo a dizer...levantaram voo...sem nada dizer! E os passarinhos, pequenitos, bébés sim, ali ficaram sozinhos sem saber o que fazer...passarinhos frágeis, com alma partida e asas cansadas, sem força para voar...Não pensaram, coitaditos, os passarinhos que a imagem valeria mais que os sentimentos, e acreditando em "no worries" se tinham encantado e levantaram voo, para onde o seu coraçãozinho de passarinhos bébés, encontrariam lugar seguro, cheio de magia e onde encanto daria lugar ao amor...acreditavam os passarinhos...mas tão bébés não sabem eles que a realidade é bem diferente...não há espaço para nada disso..apenas para pássaros mais velhos, onde os sonhos nao existem e onde não vale a pena acreditar que os sonhos possam mudar...
As noites são longas e os dias infinitos. A saudade de pássaros que partiram não diminui com o fim da tarde ou com a chegada da noite...apenas aumenta...
Mesmo sabendo que os pássaros voaram e não sabendo os passarinhos o que fazer...acreditam que pássaros de sonho sem lugar...estão sempre em algum lugar..pelo menos um saberá que estará sempre no coraçãozinho fragil de um passarinho bébé..este sim, sem lugar nenhum...

alfa disse...

Pepetito nasceu menino, ”nunca o iria esquecer… as palavras aprendidas feitas coisas no seu coração de rapaz simples, …”. Cresceu e contínua a ser Pepetito, “… passarinho de frágil alma, de certeza calma…”, voou com os outros pássaros sem lugar de sonho e com pássaros de lugar sem sonho … mais tarde voltou a voar com Pássaros De Sonho, Sem Lugar, para um lugar de pássaros sem sonho, e para outro lugar sem pássaros de sonho … acabou num lugar de pássaros sem sonho.

Pepetito, nós nascemos para ter asas, por isso volta a voar...