quinta-feira, 27 de setembro de 2007

manhã de vida !




Assim vieste no vento
Vestida de cheiro
Num sem aviso rompante
Amei-te vida num momento
Feita de amor mensageiro
Vivi e morri o instante

E não, não chorei amiga
Lágrimas sabendo a sal
Terei eu deixado cair
Um choro com sabor a vida ?
Implorei poder agarrar-te
Parei vendo-te sentir

Quem tanto soubeste querer
E aos lugares de gente ser
Levaste em tua e minha mão
Num mistério de confiança
Onde se morre feliz
Onde se nasce com lugar

Voltas então do mar
Vestida de maresia
Tudo trazes, nada esqueces
Frágeis cabelos ao vento
Tinha quando te amei
E voando em ti dançaram

Assim voltas ao lugar
Onde nasceu o segredo
Que prometemos guardar
Mas volto e voltas sempre
Aprendi a não ter medo
Enquanto viva a amar-te


Não esqueças vida, minha vida
De amor e amigos
De fins que acabam nunca
De aparecer sem aviso
De guardar-me se quiseres
Naquela manhã de mar

3 comentários:

Gazela disse...

Obrigada pela visita!! ;)

Também gosto do seu blog!! É bom encontrar boas escritas e boas leituras neste mundo da blogosfera!!

Quanto ao prémio... a seu tempo um prémio bem jeitoso (melhor que um banco de cozinha!! eheh) chegará a si!! E terei isso em atenção!!

Mais uma vez... merci!! ;)

redjanpais disse...

gazela:

Glad you did like it ... Também gosto d sentar com um café e um cigarro enquanto passeio pelas Gazela's words!
Vemo-nos por esta blogo&loucaesfera... e até lá.... que esperem os prémios!

gata disse...

Assim voltas ao lugar
Onde nasceu o segredo
Que prometemos guardar
Mas volto e voltas sempre
Aprendi a não ter medo
Enquanto viva a amar-te




Assim voltas sem avisar
E me encontras de rompante,
num telhado com cheiro a mar
Num passo incerto e hesitante

Assim te voltarei a amar
em cada encontro fulgurante
entre o cheiro e o sabor do mar
entre braços e vida de amante

é isto que eu gosto de te ler. Isto que entra e fica e me sacode a vida e me agita, e que me sai das veias como sal e...que queria eu ter escrito, afeinal.