quarta-feira, 16 de julho de 2008

vida de vento !

vento
de som que dança
em vida e liberdade
tento
olhar a esperança
de ser livre sem idade

e voando no vento
sei pois que tento
olhar-te momento
e na vida me sento
com ventos de alento
em dias de tormento

venta vida, venta dia
a vós guardo mordomia
como quem ama vazia
vida sem gente vadia
de vento sem cobardia
de voar sem nostalgia

sabias vento que quando passas e nada deixas, em ti guardo e vôo por meus dias por ti trazidos ?

9 comentários:

Vitor disse...

"Vida de vento!"... A tal forma de escrever ;-)!

...E porque não dizê-lo...mais uma boa crónica no semanal "jornada"!

Anônimo disse...

finalmente...;)
cris

ze ceitil disse...

Bolas!Bom poema...

Carlos Borges disse...

Uma boa incursão pelo caminho árduo da poesia.Portugal é, provavelmente, o país do mundo com mais e melhores poetas.

Não pares. A coisa promete!

Abraço

Cati disse...

Parabéns!
Consigo sentir o vento soprar-me nas faces enquanto leio... o que significa que está muito bom!

***

redjan disse...

vitor, cris, zé, borges e cati:
dassss, assim de repente fico a pensar que a coisa saiu bem ... a coisa, esta coisa, de falar vivendo !

Anônimo disse...

Vento, é uma bela expressão de humor da natureza...
Permite-nos ver tudo, mas não deixa que o olhemos!

Bonito caminhar ao vento.
Bom fim de semana
Isa

Anônimo disse...

JP, Muiiiito bom... Cada vez mais... surpreendida... com essa grande alma...

Turbilhão do despertar das sensações, ora estas ora as opostas... desencontradas... vertigem de confusas coisas da alma... Vento repentino da porta para o mistério...
Abram-me todas as janelas!
Arranquem-me todas as portas!
Quero viver a liberdade!

Continua!!

Abracinho
Sandra

Ana GG disse...

Bonito poema homem do vento!