sexta-feira, 9 de maio de 2008

manhã ...

Quinze anos ! Esse era o tempo que lembrava ter celebrado naquela última festa de gente dada e não pedida. Tantos e tantos amigos sonhados, não presentes nem buscados, queridos mas nunca tocados. Era de manhã, fresca manhã de ar com cheiro, de luz com letras, onde os animais se despediam em seus olhares de gente com deus. Era de manhã e saiu Raul, em busca de nada mais que não os apertos de uma lágrima, dada e recebida por palavras que aprendera a escrever dentro de si, medo nenhum num bocado de coração pequeno e gigante, em olhos de menino apenas e só, que aprendera a amar o olhar da manhã que sempre o acolhia, da noite que sempre o embalava aquecido. Medo nenhum de partir e assim foi, assim calcorreou seu caminho de sonhos com vida, de vida com sonhos, obrigado coisa franzina que me trouxeste, por toda força que em silêncio fizeste, por todo o medo que em mim escondeste, por tanta vida que não se cortou naquele momento, assim pensou sem olhar para trás naquele dia em que apenas seu cheiro de mãe mulher saberia guardar como tesouro e coisa dada em lição feita corpo e bocado de si. Quinze anos pois então, loucura em cabeça de menino, arranjo em corpo franzino, com tão pouco partiu, de tão pouco fez seu caminho, de gritos e juras eternas, que tal amor entregaria, que a ela guardaria lugar em mundo contado, sonhado e acreditado naquele bocado de céu onde sempre pudera adormecer ouvindo o canto de um passarinho dourado, que era ela e ele, que era tudo que tinha e daria, em mundo de saudade que não chorava. E foi, e foi, e foi ... sabendo que olhando ao caminho em frente, saberia um por um os passos dados e ficados desde aquela manhã.... Com quinze anos apenas !

10 comentários:

ContorNUS disse...

Gostei de te ler... voltarei ;)

LNeves disse...

Mais um grande texto do nosso amigo Red.. :)

***MUAH*** e bom fim de semana malandro!!!

Blue Eyes disse...

Um conto em jeito de sonho, com sabor a realidade!

Grande abraço!

sardinha disse...

"Medo nenhum de partir..."
nem de quebrar o coração
beijo

Cati disse...

Ao teu jeito, como gosto.
Tenho saudades Red...

Beijo grande*

Sofia disse...

Não importa com que idade, tu e os "teus meninos" conseguem sempre, sem medo, pôr um passo diante de outro, e fazer o caminho.

Lazy Cat disse...

Red dear

tenho andano sem tempo.
Mas...comecei pelo Miguel.
Desculpa, mas escreve bem que se farta o teu miudo!

E quanto as teus 15 anos.... F...

;-)
Um beijo

Carlos Borges disse...

É verdade amigo, longe vão os tempos do Big Gym.Ficamos mais velhos mas com outro olhar sobre a vida. Isso vê-se no que escreves..Grande abraço

Café com Natas disse...

E foi, e foi, e é!
Há imagens que nunca sairão da nossa memória...
Good!
Very good!

Coffe cream?
Beijinho

redjan disse...

contornus: volta sempre .. nunca falta o café por aqui !

neves: ;-) ... e foi a gr8 wk indeed !

blue eyes: conto, sonho e realidade .... tão iguais !

sardinha: medo nenhum mesmo ...

cati: ;-) .. e tb tenho saudades lá do mundo louco!

sofia: eu ... sou os meus meninos ! ;-)

lazy: o Rato bem rápido vai mais longe que eu ...

borges: bem longe mesmo ... e nós aqui ... sempre por perto. Também te revejo no ' com sentido ' ...

café com natas: nunca mesmo ... e foi e é !