quinta-feira, 7 de agosto de 2008

... à volta do nada !

... para nada ! Há coisas que não chegam a sê-las. Pessoas também. O que não é obrigatóriamente mau, podemos ser nada num momento e lugar e essa condição tornar-nos satisfeitos, pode ser fantástico saber viver sem a eterna preocupação de para tudo termos uma posição, ideia ou ponto de vista alternativo. Essa é aliás uma coisa que quando entendida, não só nos retira grande parte do ' stress ', esta doença dos nossos dias, que acumulamos muitas vezes de um modo evidentemente desnecessário, como nos proporciona momentos de liberdade intelectual, emocional, que poderemos investir em pensamentos à volta de coisas interessantes como ir um pouco dentro de nós, de outros lugares em nós. Normalmente aprendemos isto à medida que avança a idade e pensamos ver reduzido o tempo que nos resta. Sensato. Menos tempo à vista, melhor tempo à mão ! Será?
Vem tudo isto a propósito do blogar, escrever, ler, conhecer ou mostrar um pouco de nós. E, por entre um mundo de conhecidos, temos a sorte de ver entrar outros também, nunca vistos e no entanto há muito esperados. Como em qualquer actividade, a diversidade de coisas novas pode ser do mais saudável, uma autêntica mais valia. Se no somatório de ideias deixadas e reconquistadas algumas provêm de anónima gente, abre-se um desafiante campo de ideias para cá e lá, por entre gente que parou também e ousou pensar. Impossível seria no entanto não encontrar na safra o eterno joio que dá sentido à vida ela mesmo, que faz entender a diferença entre valer a pena ou pedir arremesso para o caixote. Pobres anónimos anónimos que se escondem com nada, em nada, para nada !! Por norma e sorte, arremesso certeiro para longe sem sequer lhe guardar cheiro ou rancor !!

4 comentários:

Vitor disse...

Longo foi o dia…um dia diferente talvez…muito enriquecedor direi eu…e tu amigo Jan, fechas-te as contas do mesmo, da melhor maneira, com a nobreza que te caracteriza, e o discernimento que a ocasião aconselha, com este magnifico post!

Ganhas-te novos amigos reforças-te a amizade de outros.

É isso. “…à volta do nada!”

Abraço.

blimunda sete luas disse...

Isto realmente impressiona, a quantidade de pessoas dispostas a espalhar fel de forma gratuita, por conta de... nada!

Há muita gente infeliz por este mundo fora, é só o que te digo.

Beijos, já que é isso que tu queres, é aparecer, vai continuando a aparecer, que a gente assim sempre aproveita um bocadito! ;-)

Patti disse...

E ainda à volta do nada, de coisas que não o são, com pessoas incluídas, há ainda os não-assuntos.
Aquelas discussões sem fim que nunca chegam a lado nenhum, temas de la Palisse, as grandes frases feitas e os boatos.

No entanto, perdemos ainda muito do nosso tempo com estes nadas todos.
E parece que nada, é o que aprendemos.

XR disse...

Aprendem-se as voltas ao caminho até um canto cheio de camadas; aprendem-se os nomes sempiternos, tantas Marias, tantos Manéis de tantos contos; aprende-se a maneira como os outros vêem as mesmas coisas que nós vemos.

Aprende-se a gostar de andar por aqui à procura de um puff onde sentar porque a manta já a trouxe ...