segunda-feira, 5 de abril de 2010

cobardia



Em teu reflexo, em dia meu
Em simples esboço tremido
Fizeste chuva que fosse teu
Segredo que quis escondido

Que de espelho me vestisse
E nos traços me disfarçasse
Como quem vive morrendo
Como quem morre fugindo

E porque às gentes dizendo não
A deuses estendendo a mão
De fraca escusa a tanto pecado
No meu caminho assim negado
De gente que tive
De sonhos
De mim

Morri pois e apenas, bem sei
Em todos e tantos segredos
Que a ti guardei
Desculpa-me
Vida e menino
Tão triste cobardia

3 comentários:

alfa disse...

O medo de ser transparente e verdadeiro connosco e com os outros,leva-nos muitas vezes a escolher caminhos errados, por isso às vezes somos crueís, cobardes, inconsequentes... não sendo crianças. Mas, felizmente que a vida nos dá várias oportunidades para nos redimirmos, é só aproveitar uma delas...

bjs

redjan disse...

Well Alfa ... tens de estar atenta então.. ;-)

alfa disse...

...faço por estar atenta e agarrar essas oportunidades sempre que a vida me dá, porque tb cometo erros...