segunda-feira, 19 de abril de 2010

infinito particular


Com a devida vénia ao autor, retirado
daqui.

' Quando surge um momento de silêncio numa conversa entre dois amigos que falam em português, morem eles em Lisboa, Paris, Luanda, Newark, Maputo, Londres, Rio de Janeiro, Joanesburgo, Madrid, Bissau, Luxemburgo, Berlim, Berna ou Cidade da Praia, sejam eles ricos ou pobres, de pele clara ou pele escura, novos ou velhos, de esquerda ou de direita, crentes ou ateus, nativos ou emigrantes, aristocratas ou burgueses, cristãos ou islâmicos, fascistas ou democratas, santos ou assassinos, da cidade ou do campo, do Prog Rock ou do Punk, existem sempre os mesmos 87,3% de probabilidade da conversa ser retomada com a seguinte frase:
- Então, e o nosso Benfica?'

2 comentários:

Vitor disse...

Dasssss....lá tive que vir outra vez aqui,não é?...sabes como me pôr a passear por estas bandas...falas-me ao coração ;-)

Marta disse...

E não é que é mesmo verdade? Na Guiné o Benfica é tema de conversa, entre expatriados, guineenses, jovens, homens grandes...é mesmo impressionante.

Sendo eu do Sporting, nem com o argumento "Yannick Djalo" convenço ninguém a simpatizar com o meu clube.

Como dizem os guineenses Djitu Ka tem (não há nada a fazer) :)

Beijinhos