terça-feira, 18 de março de 2008

vislumbre de um passado não meu !

Vi-te. De relance primeiro, naquele momento em que entraste à bruta e sem avisar em cabeça minha, parado em silêncio para te escutar depois, quando viajei dali para fora contigo, nas palavras que falavas sózinho, no teu olhar perdido e arrumado num céu que um dia foi nosso, meu, teu, de todos os que te miravam com dó, esse mesmo dó que um dia aprenderão a ter de si, em suas vidas vazias de gentes assim, assim como tu, velho de olhar de gente, balbuciando palavras perdidas e vividas em tempo que foi grande e teu, algures num dia, numa hora cheia, onde coube um coração de homem vivo, com boca de palavras aprendidas em velhos livros de infância, parei ali, nem me viste, parei o carro mais à frente, quis tirar-te uma fotografia, guardar-te e trazer-te para sitio sem frio, teria o direito de fazê-lo, virias ensinar um pouco de vida a menino de cidade ? Guardei-te a silhueta, juro ter ouvido tuas palavras, quero-te no álbum de amigos, são poucos sabes, mas é lá que te guardo, é lá que tens lugar, amigo perdido, por onde andas agora, que caminho te trouxe até mim ? ... com quem divides o bater de coração, quem as mãos te dá em noites de chuva e frio, por onde vagueias quando as estrelas chegam ? Louco, assim te julga a cidade onde passeias passos perdidos, assim pára o lugar e momento de longinquas pessoas, apenas pessoas iguais a ti, em tempos que guardaste num bocado que já não se divide! Vi-te ali .... quis aprender o significado daquele olhar, daquele arrazoado de secretas palavras cujo segredo vive em ti, cruzámos o olhar sem julgamentos, fico feliz ... guarda-me algures AMIGO ! Velho e velho amigo Voltaremos a ver-nos um dia ?

9 comentários:

Vitor disse...

Por um momento ficaria feliz,se lesse teus pensametos,mas certamente percebeu em teu olhar, que por um momento se sentiu gente...!

Carlos Lopes disse...

Há aqui perguntas maravilhosas, red. Muitos boas mesmo!

Cati disse...

Estranho é o encontro de velhas amizades. De pessoas que julgamos conhecer mas que... Pessoas que nos tínhamos esquecido que conhecíamos. É bom poder fazer as questões que aqui colocaste. Significa que, no caminho da vida, vais encontrando os teus pedaços, os pedaços que vais deixando nas pessoas que conheces. Como um trilho deixado até à casinha de chocolate. Não deixes nunca que os pardais te comam o trilho... para saberes sempre onde voltar. Perdi-me nas palavras? Pois... your fault!

É que o café é muito bom e estava a precisar...

LNeves disse...

Com um texto destes... Espero mesmo que sim...

***MUAH***

Sofia disse...

Um belo elogio à amizade... que já foi... e que perdura. Porque quem se ama, não se esquece, não se substitui. Porque cada amigo é único e os seus pedaços connosco permanecem.

Tens uma pequena surpresa na Caixinha! Hope U like it!

Clarice disse...

Muito bonito este texto. Muito.
Clarice

Daniela disse...

=) Impossível passar ao lado disto. =)

redjan disse...

vitor: por um momento ... chega !

CL: e que cada um lhes saiba responder ..

cati: velhas amizades ou ... amizade a velhos...

neves: not that bad if it was mine ...

sof: à amizade por .... gente !

clarice: welcome ... senta, lê e toma um café...

danielle: missed u around !1

sardinha disse...

"...quis aprender o significado daquele olhar..."
sempre difícil, não é?