terça-feira, 15 de abril de 2008

deus, menino homem ...



E rezava o Deus homem
Ao surdo e Homem deus
Falando do alto da cruz
A tementes e esquecidos
Que velas assim consomem
E tantos céus fazem seus
Temendo o escuro sem luz
Fugindo dos olhos caídos

Fugia o menino das palhas
Fugia Deus homem da cruz
De gente que por migalhas
Deixa morrer meninos nus
Orava pois Deus ao tal Pai
Que houvesse outro amanhã
Onde não se chora ou cai
Falho de mãos em coisa vã

8 comentários:

Carlos Lopes disse...

Olha, olha, voltou o hoem dos versos... Wellcome dude!

Vitor disse...

Que versatilidade Red,venho do "bocados",e é o que se vê,passo por aqui,e é o que se lê.

Bonitos versos.

Um blog e tanto...!

Paulo Sempre disse...

Os seus poemas trazem dentro deles as pessoas.
O resto eu não digo dos seus poemas, é com eles e com os leitores que houver famintos de pessoas, de paisagens e de poesia...
Como não sou poeta, limito-me a contemplar a "êxtase" dos referidos leitores e com alguma inveja - sorry - de não saber "juntar" as palavras com as quais se faz um poema.
Abraço
Paulo

redjan disse...

CL: Thanks pal !!

vitor: Geeee, até parece !

paulo: obrigado ... pela visita e palavras ! E quem escreve como tu no ' filhos de um deus menor ' .. inveja o quê mesmo ? Junta um dia as palavras, tal como te saltam da mente para a mão ... arruma-as com a tua força e jeito e sai ..... yr poetry man !!

Vitor disse...

E voltei...porque só mesmo com "rasgos de fé",se consegue enquadrar a beleza duma foto,nuns lindos versos de ...poeta

Dia inspirado o teu!

LNeves disse...

Estou de volta! :) Ando um pouco preguiçosa para comentar em blgs... Mas voltei!!!

***MUAH***

STAR disse...

Para quem tem uma perna partida em 3 lados, uma mão e mais umas costelas...e ainda desespera por quem lhe tire uma radiografia...
Até nem está nada mau o poema!!
Ab

Cati disse...

Lindo Red.
Parabéns :)