sexta-feira, 25 de abril de 2008

perdido jesus !

E havia este homem, simples homem filho de deus, de deus sem nome
E a ele correram os homens, tantos homens, filhos de gente homem
E havia o sol, esse grande sol, como grande era o calor e sua cor
E a ele rezaram também os tementes, a ele choraram a vida os crentes

E girava a terra, começavam os dias, começavam as noites e estrelas
E tudo um dia acabou então, foram-se os deuses, as velas e os choros
E de tristeza se cobriram as vestes de purpura e as estrelas cairam
Perdoem gentes a confusão do templo, eram afinal vivos os vendilhões

Perdoem gentes o sangue perdido em rezas de sangue roubado e ferido
Que um dia venha deus a sua terra, que um dia possa ele a ti ajoelhar
E nos dias, nos olhos, nas mãos, no choro de um dia que nunca nasceu
Que nesse dia caia a cruz, se apague a vela, nasçam o homem e a mulher

E não se dê nome nem dono
Não se reze de passo incerto
Porque é na terra seu trono
De vida, amor e morte perto

4 comentários:

Carlos Lopes disse...

"Os Deuses são Deuses/ Porque não se pensam" - Ricardo Reis

Um abraço, Red

NavegaDora disse...

Tudo é vivo quando é lembrado.

Carlos Lopes disse...

Tens um desafio à tua espera no I Blog Your Pardon

Cati disse...

Não sei... mas há pessoas que precisam de um deus, mesmo que não exista. Apenas pelo conforto que simboliza.