terça-feira, 11 de dezembro de 2007

repescado da semana... this post !

e a 17 de julho escreveu-se neste canto :

estrada perdida !

E na doce tontura
Na lenta luxuria
Num vazio que perdura
Nessa fingida procura
Fingida incuria
Dura a minha loucura

Não ouço os gritos
Não vejo a dor
Falta-me o dar
Venero os mitos
Que num torpor
Pareço alcançar

Sei bem que minto
Que aprendi a viver
Numa loucura dormente
Sei que te sinto
Que um dia soube ver
Onde deixei de ser gente

Sofre na guerra
Na solidão de ser só
No abandono da vida
E de mesma e igual terra
Dizem que do mesmo pó
Se fez a estrada perdida

6 comentários:

Sofia disse...

A demência que atormenta cada um de nós, escrita por quem melhor o sabe fazer... delicioso. A reler uma e outra e outra vez!

Viajante pelos Sentidos disse...

As estradas perdidas fazem parte da grande viagem da vida...

...encontra-te comigo numa dessas estradas...

Um beijo viajante...

Cati disse...

E na doce tontura
Na lenta luxuria
Num vazio que perdura
Nessa fingida procura
Fingida incuria
Dura a minha loucura

Louca caminho pelas estradas
Louca vejo o invisível
E louca toco o intagível
Vivo o impossível.

Não há estradas perdidas
Enquanto me consigo encontrar
No teu respirar
E no som
de dois corações a palpitar...

Um beijo

Daniela disse...

~Em que estrada te perdeste??? Vá encontra-te rápido e volta!

Beijinhos grandes!

gata disse...

Voltei a perder-me em ti
a procurar letras tuas
a virar páginas,
como quem dobra esquinas de ruas

....m_ss y_u R_d....

Shootingstar disse...

Magnífico poema, mais um, já vi que a veia é mesmo artística!!! Don't stop writing!!!