sexta-feira, 15 de fevereiro de 2008

assim vestida !

No mais vasto deserto e seu mais puro silêncio, a benção de um sol que se punha e entregava a um imenso céu de estrelas aos milhares o seu lugar de rei ao alto, a brisa de um vento quente e frio que vinha dançando na incerteza da sua força, sentámo-nos os seis com a eterna e sonhada ideia de nos vermos e entender, conhecer cheiros e sabor, de pessoas fortes e fracas, e tristes e sós, dos alguéns com alguém, de nossos olhares compreender, nosso toque sentir como um grito de vida, de vida sim, essa cansada e estafada coisa de poucas letras que nunca se apagara em escuridões de fugas e abandonos. Estaria por ali eu, assim me quero recordar, e eu e o silêncio, a vida, a alma e um seu Deus de nome qualquer ? No mundo mágico de cada um, sabíamos o caminho de falar sem palavras dizer, de escutar numa virgindade de certezas, de sentir nossa a liberdade ganha em lugar julgado impossível, e deus falava a lingua dos mortais que apenas retribuiam num abraçar de coisas entendidas, e naquele deserto as coisas se viam e aconteciam , num manto gigante se davam e escondiam, como se prémio fossem por tão desejadas, procuradas num afã de vida que se julgava única e vivia perdida. O sol ia longe, as estrelas quedas e mudas numa luz espantada de surpresa revelada, como e de onde vinham estranhos e improváveis viajantes, em busca do segredo abandonado, do eterno segredo de se saber, querer e ser, ter e ir, dar sem pensar ? Apagou-se a cor da noite e de novo se desenhou o sol que regressava, em seu eterno e repetido girar, em sua eterna missão de aquecer o frio e seus abraços de solidão e cores frias, vestidos de abandono e olhares que nada alcançam, nada sabem, querem ou ousam desejar, e ainda de guardar uma coisa chamada gente que se quer gente! Levantámo-nos, secámos as lágrimas , demos as mãos , cruzámos olhares vazios de medos inúteis. Voltámos ao nosso caminho e lugar de vidas, éramos sete e nada estranhámos, olhámos e pareceu-nos ser esperança quem connosco voltava também ! E no entanto, connosco caminhava em suas vestes de fantasma !!

10 comentários:

Helena disse...

Simplesmente LINDO... !!!!

Gostei...

Voltarei concerteza...

Beijinho

redjan disse...

Geee Helena.... Há por aqui um sofá com o teu nome .... chá,café e chocolates em barda ! E, curiosamente ... pode-se fumar sem incomodar ninguém ! Volta então e ... tx 4 yr words !

Try ... bocadosdetudo.blogspot.com
... tens tb por lá um lugar em teu nome !

Vitor disse...

Amigo Red,se "elas"gostam ,que hei-de eu dizer...?
Reparei que estás mais crescido,ou mudaste a foto?
Ajuda à coisa não é meu "malandro!
Não leves a mal,é brincadeira.
Um abraço.

redjan disse...

vitor: cresci ....a penas ! ;-)

Cati disse...

Quando conhecemos alguém profundamente, há coisas que não precisam ser ditas, apenas sentidas.
Há pontes que se constroem só com o olhar... e são essas pontes que nunca devemos deixar cair.
Quem tem pessoas assim, é alguém afortunado. Alguém que pode segurar uma mão e falar com o olhar e chorar porque encontrou a esperança... é alguém que vale a pena.

Big kiss*
("Eu estive aqui!!!")

Rita. disse...

Não há muitas palavras... parabéns, é um belo texto :)

Rita. disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Carlos Lopes disse...

Excelente, red. E como se diz acima, se elas gostam...

Vitor disse...

Amigo jan,hoje foi um dia tão deprimente,desde o valente temporal que assolou o país de norte a sul,sendo o telé-jornal o culminar das noticias deprimentes,que resolvi sem qualquer objectivo defenido navegar um pouco na net,para que o dia fosse um pouco esquecido,mas entretanto fui ver as últimas do teu blog,e como nada de novo,o que é que eu fui fazer?...reportei ao ano de 2007,e assim em passo de corrida dei conta que tu és o Blogger mais lido e comentado entre todos os outros,tendo uma média de gente que te comenta impressionante.
Tu és aquele tipo de "jogador" que jogando bem ou mal a malta gosta de ver em campo,direi mesmo que desconfiava que tudo o que escreves ou declamas seria de tua inspiração ou, servias-te de outros textos para o fazer,e desculpa a ousadia, um destes dias perguntei ao Zé,tendo-me ele com um ar surpreendido respondido:claro que é fruto da inspiração dele,pois se não o fosse ele publicava o autor.
O Zé disse está dito, bastou-me isso.
Portanto amigo jan anda pra´diante que a malta gosta.
Um abraço.

redjan disse...

cati: estiveste por aqui e ... continua sempre que te der vontadinha de café!

CL: é isso ... se elas gostam !

vitor: obrigado pela sinceridade e .. no dia em que publicar as horas por aqui, podes estar certo que publicarei o nome da pessoa a quem as perguntei ;-) !