quarta-feira, 27 de fevereiro de 2008

ou uma ou ... outra !

Na secura e calor tórrido daquele Alentejo de sufoco, em fim de tarde com trinta e muitos à sombra, Manel passara o fim da manhã e inicio de tarde naquele automatismo de pedir e emborcar taças de três, era branco, carrascão e fresco, que mais poderia pedir-se? O mal foi que tanto grau, de calores naturais e escalas vinícolas, chegou ao cérebro já de si gasto e cansado, ocupou o pouco espaço em funções e tratou de conferir ao andar de regresso a casa um trajecto pouco linear, a ponto de confundir a sombra que o acompanhava. Triste o momento em que Ti Manel optou por atalhar pela via principal, atravessando em curva de pouca visibilidade a olhos atentos, nenhuma a turvos. Num repente que a ninguém ficou gravado na memória, apanhado desprevenido e em desamparo por uma desembestada viatura de duas rodas, que a menos de cento e muitos não lhe pareceu chegar, voou livre e virgem no ar, pensando que ao barril que vazara devia aquela sensação reservada a passaral e aviões. Por milagre, daqueles que a ciência não explica e a religião cativa célere como coisa sua, aterrou junto ao eterno chaparro sem o qual não se faz paisagem daquelas bandas, mirando incrédulo dois pares de olhos, também eles a suscitar explicação celestial para a sobrevivência da pessoa ao meteorito motocíclico.

-Então Manel ... vossemecê aterra assim ? Mas o que foi que lhe deu ?
- Compadre, estava perto do acontecimento e dele fiz parte, mas não lhe posso jurar.. ou era uma Stelvio da Guzzi ou uma 749 Dark da Ducatti ... mas nã lhe posso jurar mesmo sabe ? Foi muita taça dele bem fresquinho e não indo para novo, esta cabeça também já não é o que era !!

13 comentários:

Viajante pelos Sentidos disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Cati disse...

"O mal foi que tanto grau, de calores naturais e escalas vinícolas, chegou ao cérebro já de si gasto e cansado, ocupou o pouco espaço em funções e tratou de conferir ao andar de regresso a casa um trajecto pouco linear, a ponto de confundir a sombra que o acompanhava." LINDO!!!

Fartei-me de rir!
Mas quem disse que o ti Manel, além de perceber de branco carrascão, não podia também perceber de motas?!?

Só mesmo tu...

Lourenço Marques? disse...

Janjas,
eheheheheheheheheh
Bem baril!

Nota: Não poderia ser uma Fantic Caballero? lol

Grande Abraço,

A indecisa disse...

Gostei...gosto de humor nos textos e está bem elaborado. Mas pergunto: Stelvio da Guzzi ou uma 749 Dark da Ducatti são vinhos carrascões? è que têm um nome muito pomposo para tal (mas não pesco nada de vinhos...bem...excepto alguns)

beijos

A indecisa disse...

...Ou serão nomes de bikes???

A indecisa disse...

ou motas

redjan disse...

cati: O branco abriu os horizontes ao Manel ... seria ?

lourenço: calhando tens razão, seria a tal Caballero azul ?

indecisa: Guzzi, Ducatti, cheiram-me a motas !

Pantalonas disse...

Humor fininho o do menino. Cá para mim, por aquelas bandas, calhando era uma Honda.

Oásis disse...

Red, esta agora fez-me lembrar de uma que passei há uns anitos. 3 fulanos em Macal Zundapp a fundo, curva apertada, o 1º em frente aterra na palha, os outros dois atrás dele.
O pior é que por baixo da palha estava um monte de pedras.
Doeu pra caraças!

Abraço

Helena disse...

Cá para mim era mas era uma Famel-Zundapp :-)

bem escrito, estilo definido e com humor, parabéns João.

Vitor disse...

Sabes que o mesmo ti Manel,em tempos,e com o mesmo grau de lúcidez,foi colhido por uma vaca que por ali pastava,e com a desenvoltura que os ditos brancos e carrascão lhe tolhavam os poucos neurónios que funcionavam,ergueu-se...?,e com voz a condizer com a situação, exclamou!Filha da puta de mota,que anda na estrada com o guiador virado ao contrário...!

Anônimo disse...

Nao conhecia esta tua faceta...
Ana Gonzalez :)

Vitor disse...

P.S.-Claro que não era a mesma personagem,a tua era Manel e a minha era "Ti"...há tantos Maneis no Alentejo... ;-)