quinta-feira, 14 de fevereiro de 2008

janela !


Quieta, parada, lá estava ela, simples janela, meta apagada, cheia de pingos de chuva em pó, com vista para coisa nenhuma, mostrava os dias, escondia os anos, que custavam a passar, que custavam a esquecer, proibida de ali sair, como uma sentença de morte ao sonho. Com dez anos mal feitos, ouvi o eco das palavras vindas de algures dentro de mim.... ' olha-a, aprende-a e nunca a abras, traria consigo o vento que leva o sonho das crianças ... '. E como era linda a janela, como me absorvia o olhar e dele fazia caminho de gente !

6 comentários:

Daniela disse...

Aposto que tens muitas janelas por dentro. As que nos mostras são muito bonitas. :)

Maria Manuela (M&M) disse...

Só que essas janelas não podem, nem devem, estar eternamente fechadas.... Descobrir o frio que por elas passa ajuda-nos a perceber o conforto do calor.

bjos

redjan disse...

danielle: terei ? ;-) ... & tx !

M&M: guess we all know that ... or don't we ?

The Wolf disse...

e enquanto houver, janelas, portas, caminhos...
haverá momentos...

mónica disse...

Janelas...
Escondem tantos segredos, as janelas!
:)
Beijinho e bom fds

Viajante pelos Sentidos disse...

Enquanto houver pureza de sentimentos haverão sempre janelas abertas de par em par... mas convém que não sejam sempre transparentes... não devemos revelar tudo o que existe dentro de nós, sob pena de nos magoarem...
Don't u think?

Beijo viajante...