quinta-feira, 15 de novembro de 2007

a + b = c




Carissimos Senhores
Patrão, Médico com consulta agendada, Notável Notário com escritura marcada, Amigo a rever em almoço, Clube do coração, Namorada em perspectiva de passeio, Filho à porta de escola, Empregado de habitual esplanada com Sol e Mar:
A todos vós me dirijo de baraço ao pescoço, na boa senda e exemplo da atitude Egas Moniziniana, qual mortal que não culpas tendo, as assume e suas torna. Pela enésima vez, enésima e mais qualquer coisita vá lá, deu-se o caso de ao nosso compromisso ter chegado com alguns minutos de atraso, largos bem sei, largos a ponto de horas lhes podermos até chamar. Creiam que me embaraça a situação, daí o adorno com que me vos apresento. E no entanto, que como os ' mas ' estão sempre à mão, creio ter encontrado por fim um porquê, um talvez, um ' se calhar é isso ', que por um lado dê alguma lógica, alguma razoabilidade aos atrasos que mais que o escovar de dentes fazem parte inevitável do meu dia a dia. Não que não saia de casa com uma almofada, de tempo bem se vê, que possa acautelar os garantidos imprevistos, passe o paradoxo, com que a estatistica me metralha e esmaga a paciência quando, sentado e parado ao volante folheio ' A Bola ' e tento encontrar a transcendente causa de me encontrar no mesmo pedaço ou troço de via, com centenas de outros desprevenidos companheiros em catatónico trânsito.
Mas, passemos ao que me trouxe, à resposta que penso ter encontrado nos recantos do inimaginável campo onde as turbas em rebanho se passeiam, onde à voz transparente e subrepticia do irmão velho obedecem num submisso baixar de cabeça, guardando a gritaria para outros futebóis.
Tudo tem a ver amigos, companheiros de ocasião ou parceiros de pontual momento, com o descalabro, a aventura irracional, o desespero de um momento que acreditamos poder ter, ao ligar a televisão e em retorno receber algo que ultrapasse o espelho diário da mediocridade aos pacotes de tanta novela, tanto concurso, tanto marreco, coxo ou homem elefante da era moderna exibido em shows de histéricos e de juntar água apresentadores . Tudo passa por acreditar que ao peneirar o esgoto da programação, consigo encontrar o tal momento com que me decidira recompensar. Ora, no orgulhoso antes quebrar que torcer, lá esmiuço a coisa madrugada dentro, e quando encontrada a rara peça, com ela me deleito. Aqui é que a porca torce o rabo, naquele momento é que são elas .... Levo com quinze minutinhos de enredo e cai-
-me qual martelo pilão uma catrefada de anormais anuncios, que para além de meterem nojo pela falta de oportunidade dariam para, seguindo a sua prosápia aconselhadora, me abastecer de josta e bosta que duas arrecadações e uma 'box' fechada atafulhariam. E são sempre os mesmos, e é sempre a mesma pôrra de inutilidades exibidas que me dão cabo do serão duramente vasculhado. Estúpido e ingénuo como só os crentes seguidistas conseguem ser, avanço até ao segundo intervalo, na vã esperança de que o mundo tem salvação. Puro e cruel engano, lá vem a seita dos oportunistas em bicos de pés, na sua senda de impingir desde sabão azul e branco da era moderna, passando por créditos e dinheiro tão fácil que até o mundo das putas se desmoronou!! Reparem porém que nada me move contra o facto de que voz amiga me segrede estudos comprovadamente cientificos que aconselham à utilização de mágico tira nódoas. É mesmo e apenas uma questão de errado posicionamento horário. O mesmo que me leva a não iniciar ' rapapés' de cariz convidativo quando me deparo com a cara metade a enfiar a roupa na máquina. Além de que a ajavardada quantidade de certeiras medidas pode levar a que ao meu filho acabe por oferecer uma lixivia de estalo por alturas da visita do velho Pai Barbudo, tal se tornou caótica a minha capacidade de captação!!
E é então que se dá a coisa minha gente .... fodido, mal pago, com um sono de morte ferido por mais uma noite de conversa fiada, procuro consolo num sono que em si começa destroçado e apenas pela manhã atinge parte do espaço zen. A partir daí irmãos ( permitam-me a intimidade fruto deste partilhado destino ) , a partir daí dizia, é sempre a somar, é o despertar tardio, as pressas inimigas do bem feito, a condução com paciência zero, as buzinadelas e dedos espetados, a leitura de jornais, a conspiração das desatenções e .... VOILÀ ... o inevitável toque entre carros, a mágica imagem da desgraça alheia, o masturbar secreto e intelectual perante um igual que naquele momento consegue estar mais em baixo que nós....
É sempre o mesmo pois, o rebanho que não se revolta e que não toma nota UM A UM dos nocturnos enervadores mor, e não se vinga riscando-os da lista mensal, gastando na concorrência que por lá não nos toma as partes traseiras à má fila !!!!!
Acreditem amigos, é apenas por isto que por mais que tente chegar a horas, seja onde for, seja porque for, apenas o consigo por vezes quando saio de casa com 24 horas de antecedência, isso mesmo, vinte e quatro, e vivo assim a vida com um dia de avanço. Por isso passei a aproveitar os deprimentes anuncios como se assistisse de bancada a condenados sorridentes a caminho do cadafalso. E cada tiro, cada melro. Se vissem a minha lista de compras perceberiam que passei a deitar-me mais cedo. E ainda assim aos compromissos aparecer a tempo, um dia antes talvez !!
A comunhão do momento depressivo e soltador de impropérios em direcção a plateia alguma faço-o na Marginal e na 2ª Circular, amantes forçadas da minha vida! No vosso caso, outro pedaço vos reservará a intimidade e comunhão. Mas repararão que a origem é-nos comum. Nas madrugadas televisivas de menininhos obedientes !! Ou não !!
Certo pois que compreenderão alguns dos atrasos que vos terá levado a pensar que de desleixo se tratava, aproveito para vos desejar um Santo Natal, provando assim que previdente e atempado me soube tornar ....
Deste vosso que tanto vos estima,
Red

12 comentários:

Sofia disse...

Adoro porque adoro crónicas urbanas... e esta, tipo sino de Pavlov, deixa-me já a salivar por mais! É do melhor que já tenho lido aqui e por esta net fora!
O "bode de expiatório" é perfeito, já que contra tuas palavras não se vai revoltar; e penso, terás razão! Vou experimentar deitar cedo. Por via das dúvidas, não vá o diabo tecê-las, bom Natal também para ti, amigo Red.

Da tua leitora assídua, Sof

The Wolf disse...

e este post tardou, ficou retido talvez.

redjan disse...

sof & wolf: peçam café, cigarros, dêem cabo do chocolate e resmunguem por bolachas, mas fiquem .... como gosto de vos ter na sala !!!

ze ceitil disse...

Como é que tu costumas dizer!?...Daaasssssssssssssss!?!? Muito bom

Copo_Meio_Cheio disse...

Meu amigo...a continuação ao desafio da meia laranja já está postado...
Agora venha o próximo...
E que não arranhe muito a D. Gata!!

Abraço

gata disse...

pois....as gatas só arranham quando querem....escreves a seguir a mim?

redjan disse...

sure .... Lazy !! Com gosto ..

Daniela disse...

Pois é... Sempre que passo cá encontro um nível que manténs... eheheh O mesmo nível das lésbicas e das meias de leite!

MUITO BOM POST.

redjan disse...

geeee danielle .. lésbicas, nível & meias de leite !! ;-)

Tá bom de café lá no sofá ??

Carlos Lopes disse...

Boa crónica, amigo. Sinto alguma inveja por ver que escrever parece (ou é, de facto) coisa fácil.
Um abraço.

Lourenço Marques? disse...

Janjas,
Mui bien!
Abraço,

redjan disse...

CL: inspiro-me no blog your pardon .... :-)

lourenço: ;-) & tx