segunda-feira, 19 de novembro de 2007

cores .....

Vendidas sem medo
Em feira de azares
As fomes e ódios
As mortes sem nome
E sem dia ou lugares
Árvores de fruto azedo

E na simples podridão
Repastos divinos
Despojos de guerra
De quem esmaga uma mão
Inventou a cobiça
Seu paraiso na terra

E de principios e fins
De risos selvagens
Em vastos confins
E tristes miragens
Dividiram-se horrores
E os homens por cores

6 comentários:

Daniela disse...

'Dividiram-se horrores e os homens por cores'... gostei!

Safaste-te!

Pena é seres encarnado! Mas não podemos ser perfeitos, não é?

(não me batas, estou a brincar!) =)

redjan disse...

guess u did ok too ... ;-)

Sofia disse...

bonito e educativo!!!

ARTUR GUILHERME CARVALHO disse...

Ia dizer o mesmo que a Daniela. Muito bem feito e imaginado. "Os homens por cores..." Do belo xaval, do belo
ARTUR

Copo_Meio_Cheio disse...

Dificil è comentar sem desvirtuar o objecto...
Daí que a simplicidade seja sempre a melhor opção Red.

Adorei a simplicidade tão complexa retratada.

DarkMorgana disse...

Gostei!
Forma-se uma imagem enquanto se lê...

beijos