domingo, 17 de junho de 2007

Farol


Mandou-me então Deus este vento sem sossego, como se fôra dia de julgamento! O mar à volta como só ele sabe estar, numa fúria de animal raivoso, a chuva com danças de diabo, desapareceram os pássaros, fugiram os peixes, é dia para não passar !
Sei que vou estar só, hoje não me quer a vida companheiros ! Na varanda da minha vertigem, acendo um cigarro e contemplo a grandeza do Criador, vai a tarde a meio e dentro em pouco dou sinal do meu farol! Aprendi que a solidão mata se nossa amiga não a tornarmos ... e no meio do mar pergunto-me pelos meus amigos que vivem sós em cidades ! De gente ! Sem faróis !

2 comentários:

kitty kat disse...

O farol não é mais do que a nossa consciência que nos ajuda a tomar os caminhos correctos de acordo com os nossos principios,crenças e sentimentos, que nos ilumina esse tal caminho de forma clara e segura. Só que por vezes há tanto nevoeiro que nos sentimos perdidos! Que caminho tomar? será que aquele atalho também serve? pois é... esse "farol" é-nos muito querido e essencial, é o nosso companheiro, é a nossa voz da razão. Por isso é que é tão importante mantê-lo sempre limpo e desempedido para podermos saber que direcção tomar,seguros de nós próprios, pois por vezes quando não é assim podemos magoar outros... Precisamos dessa luz!

1 BJ

Viajante pelos Sentidos disse...

Gosto mais do meu farol... hmmm!
Beijo viajante...