sábado, 30 de junho de 2007

não há coincidências

São cinco e meia, assim diz o relógio da torre, de que dia não sei, em que lugar não sei também ! Está escuro e tenho a sensação de fome e cansaço de quem há tempos não pára ! Há tempos longos, há tempos perdidos talvez ! Muitos decerto !
A roupa suja e um olhar perdido devolvido pelo reflexo de uma poça de água ajudam-me a reconhecer os traços que em tempos julguei serem meus, levam-me por um curto regresso a um lugar que nem me lembro de abandonar. A solidão quebra-se com a chegada de uma estranha companhia ! Não falamos, não ouvimos, não cruzamos o olhar e assim se passam as horas, tanta hora, até um novo dia raiar!
Manhã cedo dali saímos, as mãos dadas, os corações a bater, de novo ... por alguém !

- Amo-te, sabias ? Porque me vieste buscar?
- Porque só agora te encontrei ! Desistias ali sentado?
- Ali me perdi, ali me encontrei, ali me esperei ..... Como me encontraste Vida ?
- Moro em ti ..... apenas ! Não há coincidências !!

Um comentário:

wanda disse...

É BOM QUANDO AINDA PODEMOS SER DESPERTADOS..ABANADOS..SACUDIDOS POR SENTIMENTOS QUE JULGAMOS JÁ NÃO FAZEREM SENTIDO...
É VERDADE VIDA !
NÃO HÁ COINCIDÊNCIAS !