quarta-feira, 24 de outubro de 2007

bocados mais !

Nada e tudo, bocados mais
Em vida de velhos sem fim
De meninos que não se perdem
Porque assim não o quiseram
Ventos da vida, de bem fundo vindos
De quem o peito lhes abriu
Em coragens nem vãs nem gritadas
Nem em gritos de afronta final
E na simplicidade incompreendida
De quem a vida não assustou
A quem não deu nem tirou
Dias de caminhos sem forma
Danças de corpos sós.

7 comentários:

Tia Cremilde disse...

vim cá ver se estava tudo em ordem... aproveito para espalhar beijos e a magia do costume!

juízo!

Cati disse...

Bocados a mais... será toda a gente tem bocados a mais? Ou serei só eu? Se calhar temos todos...
Muito bonito (não percebi muito bem lá mais pro fim...)

Beijinho

Professorinha disse...

Danças de corpos sós... Sós se dança melhor...

Fica bem

Sofia disse...

Numa palavra "determinação"! Determinação para lutar pelo que acreditamos e não deixar morrer o que sonhamos!
Do melhor que já tenho lido por aqui... ou por outra... se calhar sou eu que começo a ler-te melhor! ;)

redjan disse...

tia: o chá reserva especial que lhe mandei guardar .. estava a peceito ?

cati: não a mais ... mais apenas !

prof: indeed sometimes !

sof: ou uma coisa ou outra ... tnks !!

rit disse...

...E na simplicidade incompreendida...danças de corpos sós...solidão silenciosa...

The Wolf disse...

Muito bom, gostei muito da parte:

"De meninos que não se perdem
Porque assim não o quiseram"

Se compreendi bem, ainda vão a tempo, vai-se sempre a tempo, seja para o que for.