sexta-feira, 19 de outubro de 2007

ninguém !

E longa fôra a jornada, medidas esquecidas no tempo, vivida a solavancos de momentos e impulsos, caminhos de bocados soltos, caras presentes em idas de desejos e fantasia, de mistério unico e sedutor, como um mundo que se desenha na quietude de um fechar de olhos, na letra de uma canção nunca escrita, numa imagem a preto e branco solta no tempo, guardada em segredos proibidos. Parou de vez e olhou, espelho temido nas noites de solidão sem lágrimas nem sorriso de gente ... janela aberta ao vento de sons e côres que sabia não agarrar!
Não hesitou e abraçou-se ... seguiu vazio no vazio, para trás o labirinto de coisas nenhumas onde ser-se era esquecer, onde nunca aprendera a ficar. E perdido encontrou aquele lugar nenhum onde adormecia vivendo ! Surpreso olhou o relógio, deu as boas noites, fumou um cigarro e saiu ! Não voltaria ali!! Vazio ... reaprendeu a respirar!!

3 comentários:

gata disse...

a respirar sem tempos, a sentir o ar que passa, que engole e o arrasa, que lhe arranca a alma ao passar, que lhe tira o fôlego, ao respirar. Vazio. Ainda. Depois de reaprender a respirar.

redjan disse...

catgirl:
life goes on .. texts too , so it seems !!
Tx 4 yr visit ! Come back again, coffee and cigarrettes around!

Cati disse...

Às vezes um cigarro cai mesmo bem... se calhar não tem nada a ver, mas foi o que me veio à mente.