terça-feira, 30 de outubro de 2007

feito de nada ...

Sentado e olhando
A janela de sempre
Quieto e andando
Em caminhos de gente
Desejando apenas querer
Que se quisessem desejos

Fugiste frágil criança
Levada em doces marés
Ficou o lugar
De pegadas sem pés
Em mãos de desesperança
Em lugares de saber amar

E assim dias teus
Vividos e repetidos
Em vida que não imaginas
De sabores esvaziada
Em mundo que não existe
Em lugar feito de nada

14 comentários:

Carlos Lopes disse...

Poesia é o que o poema não diz. E isso nota-se bem neste texto.

Quando é o próximo embate?

redjan disse...

.... next week ? E com formato à escolha do pardon ???

Carlos Lopes disse...

Pode ser. Temos que envolver o Artur nisto, não achas?

redjan disse...

Let's have him .... e a fasquia que suba !!

gata disse...

Quite strong!

Uma vida sem sabores em lugares feitos de nada....são tantas as vividas assim....sem cor, sem sabor, sem luz, sem ainda estar acordados de madrugada....

Beijo de gata curiosa.

embates, escolhas, fasquias....hummm ;-)

Daniela disse...

Muito bom! =)

I'll be back!

PGA disse...

Redjan...tu ñão perdoas!! estás a ficar um verdadeiro erudito...por outro lado...estás a ficar demasiado sensível...isso pode ser perigoso.

Cati disse...

Very nice - embora prefira o anterior... eu sou uma sentimentalona!

Beijinhos!

ARTUR GUILHERME CARVALHO disse...

Perdão !?

redjan disse...

art: it's the challenge world !!

KRIEG disse...

Andas a faltar aos treinos!

redjan disse...

krieg: srry... acabaram-se-me as férias e fui trabalhar um pouquito !! back to practice again !!

Sofia disse...

Red, something for you in the little box... when you've got time to spare, pass by and pick it up!
rofl

redjan disse...

done sof & .... THNX !!!